Ronco e Apnéia

O Sono:

O sono é fundamental para o bem-estar e saúde do indivíduo. É durante o sono que ocorre a produção de uma série de substâncias vitais para o equilíbrio do organismo.

Estudos demostram que os pacientes com má qualidade de sono apresentaram grande mudança comportamentais ficando mais agressivos, irritadiços, apreensivos e com falta de concentração.

Durante o sono o ar deveria passar livremente pelas vias aéreas, sem nenhuma obstrução ou estreitamento. Mas em algumas pessoas essa condição é modificada dificultando ou até interrompendo momentamente essa passagem  de ar.

O Ronco:

O Ronco atingie cerca de 30% das pessoas, prejudicando relacionamentos e gerando constrangimento. É causado pela vibração dos tecidos da garganta (região posterior da Faringe, dorso da língua, palato mole e úvula), durante a passage de ar à medida que as vias aéreas se estreitam.. O ronco pode ser sintoma de outros problemas, como a Síndrome da Apnéia obstrutiva do sono.

Apnéia Obstrutiva do Sono:

A Apnéia do sono são eventos recorrentes de interrupção da passagem de ar devido a uma obstrução da via área superior por um período maior do que 10 segundos, muitas veses, diminuindo a quantidade de oxigênio no sangue.

Essa obstrução manifesta-se de forma contínua envolvendo um despertar relacionado ao esforço respiratório aumentado. A pessoa volta a dormir rapidamente, e nem percebe que acordou. Ao dormir novamente, ocorre o mesmo processo, esse ciclo pode repetir-se por dezenas de vezes durante a noite. Todos esses fatores fazem com que a pessoa tenha um sono de má qualidade e consequências cardiológicas graves, como arritmias, aumento da pressão sanguínea, e um risco de infarto e AVC ( acidente vascular cerebral ) aumentado.

A Apnéia do sono pode atingir 9% da população masculina entre os 30 e os 60 anos e 4% da feminina após a menopausa, com uma maior prevalência nas faixas etárias avançadas (YOUNG, 1993).

Tratamento:

O tratamento exige uma abordagem multidisciplinar. A Odontologia atua usando aparelhos intraorais de uso noturno que avançam a mandíbula e assim desobstruem a via aérea. Esses aparelhos aumentam a passagem do ar melhorando o ronco e as apneias leves e moderadas.

Sinais e Sintomas:

As principais características clínicas da apnéia do sono são:

Sonolência diurna excessiva – hipersonolência

Roncos noturnos  

Obesidade

Circunferência do pescoço aumentada

Depressão

Irritabilidade

Refluxo gastrosofágico

Sensação de cansaço ao despertar

Despertares frequentes durante a noite

Dificuldade de concentração

Doenças cardíacas como: Hipertensão arterial, Arritmias, Angina, Infarto do miocárdio e Insuficiência cardíaca.

Sudorese noturna

Dicas para Dormir Melhor:

  1. Mantenha um horário regular para adormecer e acordar, todo santo dia.
  2. Vá para a cama somente na hora de dormir. Nada de ler, falar ao telefone ou comer entre os lençóis.
  3. Cuide para que o ambiente seja agradável: deixe o quarto escuro e silencioso. Se possível, regule a temperatura.
  4. Escolha um colchão adequado, nem rígido nem macio demais. Lembre-se que em nenhum outro momento do dia você fica tantas horas na mesma posição.
  5. Fuja do café e de outros estimulantes como o chá preto, o mate e alguns refrigerantes, além do cigarro.
  6. Nada de ficar planejando as tarefas do dia seguinte nem resolvendo problemas na hora de dormir.
  7. Não se engane como o aparente efeito relaxante do álcool: ele é garantia de noites turbulentas.
  8. Não faça exercícios à noite, pois eles acendem o organismo.
  9. Não se empanturre no jantar nem coma perto da hora de deitar. A digestão praticamente pára enquanto dormimos.
  10. Faça atividades relaxantes após essa refeição.
  11. Não assista TV no quarto. Ela é uma fonte enorme de estímulos capazes de deixar a pessoa mais alerta.
Postado em Blog por

Deixe um comentário

Inscreva-se em nossa newsletter e receba dicas e informações sobre os nossos tratamentos!